Geração Distribuída: Evolução do mercado

No dia 18/08/2021 foi aprovado na câmara dos deputados o PL 5.829/2019, que cria o Marco Legal da Geração Distribuída, o projeto segue para votação no Senado e se aprovado irá para sanção do presidente.


O PL passará a regulamentar o ambiente de GD no Brasil, que desde sua criação foi regulado por Resoluções Normativas da ANEEL, sendo a 482 de 2012 a que estabeleceu as condições gerais para o acesso de plantas de GD aos sistemas de distribuição de energia elétrica, o sistema de compensação de energia e outras providências.


Analisando a evolução do mercado, a Geração Distribuída teve taxas de crescimento expressivas, principalmente nos últimos 3 anos, chegando em agosto de 2021 a 6,7 GW de capacidade instalada, com mais de 567 mil unidades de geração e mais de 731 mil unidades consumidoras. A seguir é possível analisar o crescimento mensal do mercado desde o inicio.


Dashboards acessados pela plataforma em BI > DashBoards > Analise GD


Dentre as modalidades de geração, as plantas de microgeração < 75 kW, e com produção na própria unidade consumidora, ocupam a maior parte do mercado, com cerca de 5,1 GW e representando cerca de 77 % da potência instalada, que pode ser observado na tabela no lado superior direito do infográfico.


Dashboards acessados pela plataforma em BI > DashBoards > Analise GD


A maior parte dessas plantas encontram-se conectadas em baixa tensão, são 5,2 GW. Já as demais modalidades somam 1,5 GW e estão principalmente conectadas em média tensão, estes valores podem ser vistos no gráfico de pizza na lado inferior direito do infográfico.


Dentre os estados do Brasil, Minas Gerais lidera o ranking com a maior parcela da GD instalada, com aproximadamente 1,2 GW. A maior parte dessa geração é feita na própria unidade consumidora e conectada na rede de baixa tensão, sendo a classe Comercial com a maior parcela, cerca de 474 MW, seguida pela classe residencial, 377 MW.


Dentre as fontes enquadradas para geração distribuída, a solar lidera o ranking de forma disparada (97% ~ 6,5 GW), devido as condições de irradiação em todo o país, incentivos existentes e acessibilidade aos equipamentos.


Dashboards acessados pela plataforma em BI > DashBoards > Analise GD


Soluções ePowerBay - Análise de alimentadores


A área de estudos voltados para geração distribuída foi desenvolvida na plataforma ePowerBay no início de 2020, em função da grande corrida para implantação de novos projetos, perante a perspectiva de mudança da REN 482 da ANEEL. Desde então a ePowerBay tem desenvolvido estudos e projetos para auxiliar na prospecção e análise de áreas para conexão de geração.


Na plataforma é possível acessar vários dashboards com as informações sobre as redes de algumas das principais distribuidoras. É possível fazer a busca por cidade, podendo analisar os circuitos existentes, sua composição Urbana e Não Urbana, bem como, a fragmentação dos trechos em tipo de cabo e capacidade de condução de corrente.


Como exemplo, segue o infográfico já disponível no sistema, referente a distribuidora CEMIG. Nele podemos verificar todos os alimentadores por subestações e cidades.


O exemplo que segue é para a cidade de Três Corações: Subestações Três Corações 01 e 02, Alimentadores TCSD (210, 211, 214, 215, 216 e 218) e TCSU (05, 06, 07, 11, 12, 13 e 14).


Análise dos circuitos. Link para acesso no sistema.


Com base nas informações da planta e localização do terreno, podemos também realizar estudos mais detalhados, verificando:


  • Cargas conectadas nos alimentadores (Baixa e Média tensão);

  • Equipamentos de controle e regulação de tensão existentes no alimentador;

  • Número de Transformadores e capacidade de transformação;

  • Variações de tensão que a planta irá acarretar na rede (em função da distancia e local da planta).

  • Características físicas dos condutores que compõe os alimentadores da região.


Uma vez identificado o alimentador e as características da rede, podemos estimar os custos de adequação (recondutoramento de trechos, adequação em sistemas de proteção e controle, religadores, etc), bem como, os valores de ERD (Encargo de Responsabilidade das Distribuidoras) de forma a levantar os custos que serão de responsabilidade do empreendedor.


Nossas ferramentas permitem também uma analise do impacto da GD na rede, considerando o carregamento e as perdas presentes no alimentador e que podem ser compensados pela geração local. Essa analise faz extremamente interessante agora, já que a PL 5829/19 prevê a valoração desses benefícios


Estes estudos são realizados pela equipe de Engenharia da ePowerBay e ajudam no processo de tomada de decisão, bem como, prosseguimento com os pareceres de acesso junto as distribuidoras.


Venha conhecer mais nossas soluções para o mercado de Geração Distribuída.



177 visualizações
Posts Recentes
Editoriais