top of page

Veja o que difere os créditos de carbono do certificado de energia renovável

Os créditos de carbono e certificados de energia renovável são duas formas diferentes de incentivar a redução das emissões de gases de efeito estufa e a transição para fontes de energia limpa. Embora ambos os mecanismos tenham o objetivo de auxiliar nas mudanças climáticas, eles têm abordagens diferentes e aplicam-se também em setores distintos.



Créditos de carbonos, o que são?

Eles são um instrumento de mercado que permite a empresas e governos compensarem suas emissões de gases de efeito estufa (GEE) por meio do financiamento de projetos que reduzem ou evitam emissões em outro lugar. O objetivo é criar um incentivo financeiro para que as empresas busquem soluções mais limpas e sustentáveis em sua produção ou operações. Cada crédito de carbono corresponde a uma tonelada de CO2 (ou seu equivalente em outros GEE) que deixou de ser emitida ou foi removida da atmosfera.


Importante lembrar que eles são emitidos em mercados regulados, como o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC), ou em mercados voluntários, como o Verified Carbon Standard (VCS). Com isso, os créditos podem ser negociados entre empresas ou vendidos em leilões para ajudar a financiar projetos que reduzem as emissões de GEE.



O que é um certificado de energia renovável?

No Brasil, um certificado de energia renovável é conhecido como Certificado de Energia Renovável (REC na sigla em Inglês), também chamado de Certificado de Energia Verde. O REC é um documento emitido por uma entidade certificadora que atesta que determinada quantidade de energia elétrica foi gerada por fonte renovável, como a solar, eólica, hidráulica, biomassa ou outras formas de geração limpa.


Esse documento é um instrumento de mercado que permite que consumidores de energia elétrica possam comprovar o consumo de energia gerada por fontes renováveis e assim reduzir sua pegada de carbono. Empresas e organizações que desejam demonstrar seu compromisso com a sustentabilidade ambiental podem adquirir RECs para compensar as emissões de gases de efeito estufa (GEE) associadas ao consumo de energia elétrica.


A certificação de energia renovável é regulamentada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) por meio do Programa de Certificação da Bioeletricidade (Bioeletricidade Brasil). O programa certifica a origem da energia elétrica gerada a partir de fontes renováveis e é responsável por emitir os RECs no Brasil.


Lembrando que no país, os RECs são comercializados em bolsas de valores ou em plataformas de negociação eletrônica, como a B3 (Bolsa de Valores de São Paulo). E esse mercado de tem crescido no país nos últimos anos, impulsionado pelo aumento da demanda por energia elétrica renovável e pelo interesse de empresas em demonstrar seu compromisso com a sustentabilidade ambiental.


Ou seja, a principal diferença entre créditos de carbono e certificados de energia renovável é que os créditos de carbono visam reduzir as emissões de GEE por meio da compensação de emissões em outros lugares, enquanto os certificados de energia renovável incentivam a produção e o consumo de eletricidade renovável. No qual, os dois mecanismos têm o potencial de contribuir para a mitigação das mudanças climáticas, mas é importante compreender suas diferenças e limitações para escolher o termo correto.


Aproveite para conhecer nossas soluções em informações como esta e também, dados que vão te ajudar a ganhar mais vantagem competitiva no setor. Nos acompanhe nas redes sociais: @epowerbay_br.


310 visualizações

Comments


Editoriais
Imagem ML Vertical.jpg
Posts Recentes
bottom of page