top of page

Intercâmbio de Energia do Brasil com Argentina e Uruguai

No dia 01 de março, um blecaute de grandes proporções ocorreu na Argentina, deixando mais de 20 milhões de pessoas sem eletricidade por 2 horas. A interrupção corresponde a 40% do território argentino, afetando as províncias de Santa Fé, Mendoza, Córdoba, San Luis, San Juan, Santa Cruz, Catamarca, Formosa, Salta, La Rioja e Jujuy, conforme reportou La Nación.


O país vem sofrendo com uma rigorosa seca e recordes de temperatura neste ano de 2023, com o verão mais quente de Buenos Aires desde o início dos registros. Estes eventos climáticos são cada vez mais comuns na América do Sul, a lembrar da crise energética que afetou o Brasil até o final de 2021 pela falta de chuvas.


As falhas do sistema elétrico foram causadas por um incêndio na zona entre Campana e General Rodriguez, a oeste de Buenos Aires. O evento afetou 3 linhas de transmissão de alta tensão, que por sua vez impactou várias centrais geradoras, entre elas a central nuclear Atucha 1 de 362 MW, que teve que ser desligada.


Com isso, o intercâmbio de energia entre países é um recurso muito importante para aliviar os sistemas quando um está sobrecarregado (demanda maior do que a capacidade de gerar energia) e o outro está com sobras de energia.


O Brasil já exportou mais de 2.400 GWh de eletricidade para Argentina e Uruguai em 2023, porém em 2021, quando o Brasil passava pela maior crise energética de sua história, importou mais de 1.300 GWh nos três primeiros meses do ano. Confira a imagem a seguir de acordo com dados do ONS sobre a importação/exportação de energia nos 03 primeiros meses do ano de 2021 e 2023.



A exportação de energia para estes países gera oportunidades excelentes para as comercializadoras de energia que possuem excedentes de energia venderem para os países em déficit através de processos competitivos feitos pela CCEE. Nas últimas semanas, empresas como Enel, Âmbar, Engie, Banco BTG, entre outras, foram autorizadas a atuar como importador/exportador de energia.


No Brasil, o intercâmbio de energia com Argentina e Uruguai é feito no Rio Grande do Sul. Com a Argentina o intercâmbio ocorre através das linhas de transmissão de 500 kV que conectam às subestações Garabi I e Garabi II, no município de Garruchos, até a subestação Rincón Santa Maria no estado de Corrientes na Argentina, próximo a hidrelétrica de Itaipú. Existe também a conexão através da linha de 132 kV que conecta Uruguaiana com Paso de los Libres, porém não é utilizada algum tempo.


Com o Uruguai, o intercâmbio de energia ocorre através da linha de transmissão de 500 kV que conecta a subestação Candiota no município de Dário Lassance, até a subestação Melo, na cidade de mesmo nome no Uruguai, e em Santana do Livramento, através da linha de 230 kV que conecta a subestação Livramento 2 com a subestação Rivera através da estação conversora 50/60 Hz Rivera.


Confira na imagem a seguir os pontos onde ocorrem os intercâmbios de energia do Brasil com a Argentina e Uruguai, feita com um dos vários arquivos disponíveis para download na plataforma ePowerBay.


Acesse a Loja ePowerBay para adquirir os diversos arquivos em Google Earth (kmz): Clique aqui


Na Loja ePowerBay você pode acessar os seguintes mapas:

  • Transformadore de Baixa Tensão

  • Proteção de rede de distribuição de Média Tensão

  • Rede de distribuição de Média Tensão

  • Rede de distribuição de Alta Tensão

  • Rede Básica de Alta Tensão

E muito mais! Acesse agora a Loja ePowerBay!


Comments


Editoriais
Imagem ML Vertical.jpg
Posts Recentes
bottom of page