• André Felber, Afonso Lugo, Fernando Witzel

Informações sobre o mercado de Geração Distribuída no Brasil


A evolução da Geração Distribuída (GD) no Brasil tem sido expressiva, chegando no mês de julho/18 a marca de 400 MW com mais de 33 mil usinas e 47 mil unidades consumidoras (UC) recebendo créditos. Nos 7 primeiros meses de 2018, o crescimento foi de 144,2 MW equivalente a 56% da capacidade instalada até o final de 2017 (257,1 MW).

Este crescimento em parte pode ser explicado pelos aumentos das tarifas e pela redução nos custos, principalmente da fonte solar que hoje representa 79% (316,4 MW).

O Infográfico que segue mostra alguns aspectos interessantes como os estados com maior capacidade instalada, as classes de consumo e as fontes de geração com maior potencia Instalada.


O estado com maior capacidade instalada atualmente é MG, com 107,5 MW, dos quais 65% são solar (UFV), 25% são hidráulicas (CGH) e 10% são Cogeração qualificada (UTE - Biogas, Casca de Arroz, Gás de Alto Forno, Resíduo de Floresta, Gás Natural e outras).

Em relação a Classe de Consumo, a maior potencia instalada é verificada na Comercial (187 MW), seguida pela Residencial (119 MW) e Industrial (49 MW). Dentro de Outros estão Poder Público e Rural que hoje totalizam 45 MW. As classes Comercial e Residencial têm custos altos de energia e em geral estão conectados na baixa tensão, sem muitas opções de contratação fora do convencional.

A modalidade de implantação dos projetos mais utilizada é a Geração na própria UC, que em geral utiliza a fonte solar e permite projetos pequenos de até 75 kW, que necessitam menores investimentos e auxiliam na pulverização do mercado.

Os grandes geradores de GD utilizam da modalidade Autoconsumo remoto, devido a maior escala dos projetos, que podem chegar a 5 MW que requerem investimentos superiores, mas com o ganho de escala podem ser reduzidos.

O Infográfico que segue mostra a evolução da capacidade instalada por modalidade, a distribuição atual e os 10 maiores geradores.

Das dez maiores empresas que investiram em GD, sete utilizam a modalidade Autoconsumo remoto, duas utilizam Geração na própria UC e uma utiliza a Geração compartilhada.

Alguns aspectos interessantes sobre os geradores:

  • Duas são grande empresas de Telefonia (TIM e Claro), com instalações em MG;

  • Dois são grandes bancos (Caixa Econômica e Santander), as instalações da Caixa, em função da modalidade, estão pulverizadas por todos Brasil, em geral nas agências, os projetos do Santander são hidráulicos em MG ;

  • Uma Empresa de Varejo (Via Varejo - Casas Bahia e Ponto Frio), com instalações em MG;

  • Uma Rede de Farmácias (Drogaria Araújo) em investimento conjunto com a AES Tiete em um projeto solar na divisa com SP, para atender 140 agência;

  • Um Siderúrgica (Grupo Plantar - produção de ferro gusa), que utiliza Biomassa de gas de alto forno;

  • Um Projeto Eólico (Consórcio Prainha II), com 5 MW no estado do Ceará e utiliza a modalidade de Geração compartilhada;

  • Uma Rede de Supermercados (Rede São Luiz - Distribuidoras de Alimentos Fartura), com instalações no estado do Ceará;

  • Uma Cooperativa (Cogecom), com instalações no estado do Paraná;

O arcabouço regulatório esta baseado na Resolução Normativa ANEEL nº 482/2012 (revisado em 2015 pela RN nº 687/2015).

Criamos novas soluções no Portal do ePowerBay para pesquisas e análises especificas para o Mercado de Geração Distribuída.

#GERAÇÃODISTRIBUIDA