• André Felber, Afonso Lugo, Fernando Witzel

Ranking da Performance Operacional das Usinas Eólicos


O Brasil possui atualmente mais de 500 parques eólicos em operação comercial, totalizando um pouco mais de 12.7 GW, segundo informações publicadas pela ABEEólica no inicio de 2018. Destes projetos 82% estão no Mercado Regulado, comercializados via leilões de energia e 18% estão no mercado livre, com contratos bilaterais.

Com intuito de compreender como estão operando estes parques eólicos, o ePowerBay esta compilando em sua base de dados, as informações fornecidas pela CCEE através do InfoMercado, que é uma publicação mensal que traz os principais resultados das operações contabilizadas.

O estudo realizado levou em conta as informações que haviam sido divulgadas até o momento, relativas a novembro de 2017.

Os 10 primeiros projetos do Ranking Eólico são de propriedade da Omega Energia e estão situados em uma região caracterizada pelas altas intensidades de vento, nos estados do Maranhão e Piauí. Os parques fazem parte dos complexos Delta 1 e Delta 2 no Piauí e Delta 3 no Maranhão. Confira a localização deles na imagem abaixo.

O projeto líder deste ranking é o Testa Branca I, no estado do Piauí. Vencedor do Leilão de Energia Nova A-5 de 2013, vendeu energia à R$ 117,50 / MWh (preço atualizado em janeiro R$ 151,41 / MWh) com data de início de suprimento do contrato para maio de 2018, como adiantou as obras, começou a operar em setembro de 2016. Esse adiantamento na entrada em operação de aproximadamente 20 meses, representa um caixa adicional expressivo para o projeto, visto que o ano de 2017 apresentou PLD elevado e os contratos no mercado livre com valores altos.

O parque possui um Fator de Capacidade de 58,6% e garantia física anual de 12,9 MWm. No leilão vendeu 11 MWm, desta forma 1,9 MWm (~15%) de energia esta sendo utilizada para garantia de perdas e possível negociação no mercado livre.

O histórico de operações do ano de 2017 está ilustrado na imagem abaixo retirada do ePowerBay.

Considerando as informações de geração do parque para o período de operação analisado (set/16 a nov/17), bem como o histórico de PLD no período, o preço de venda do PPA ajustado (R$ 151,41 / MWh) e um possível contrato no ACL (R$180 / MWh), estimou-se o faturamento adicional que o projeto teve neste período de antecipação.

Com base nestes dados o faturamento adicional varia entre 21,7 a 45,8 milhões:

Venda da Energia pelo preço do PPA: 21,73 Milhões;

Venda de Energia por uma tarifa hipotética no ACL: 25,83 Milhões;

Venda de Energia pelo PLD: 45,85 Milhões;

Um pouco sobre a Omega Energia

Fundada em 2008, a Omega Energia é uma companhia geradora de energia elétrica com foco em energia limpa e renovável. A companhia é controlada pela cofundadora Tarpon Investimentos, gestora de recursos, e também tem como acionista o fundo de investimentos Warburg Pincus. Em agosto de 2017, abriu capital com a oferta pública inicial de ações (IPO) no Novo Mercado, com o ticker OMGE3.

Com a realização de seu IPO, A Omega Geração passa a ser a 134ª empresa listada no Novo Mercado, que conduz as empresas ao mais elevado padrão de governança corporativa. As empresas listadas nesse segmento podem emitir apenas ações com direito de voto, as chamadas ações ordinárias (ON).

Novos Projetos viabilizados

No último leilão A-6 2017 a Omega vendeu os projetos Desta 5 I, IV, V e X (95 MW) pelos preços de R$ 111,2 MWh. Como os preços deste leilão foram relativamente baixos, uma estratégia para tornar os projetos rentáveis provavelmente seja a antecipação da entrada em operação, bem como um mix de contratos ACR x ACL. Sabe-se também que estes projetos compartilham as estruturas de linha de transmissão e Subestaçãoes dos projetos pertencentes ao complexo Delta 3 (primeiros projetos do Maranhão - 220 MW), conectados em Miranda II 500 kV, reduzindo o CAPEX, bem como pode ter um ganho significativo da operação e Manutenção, reduzindo o OPEX.

Os projetos pertencentes ao Cluster Delta 5, semelhante aos projetos já em operação, venderam menos lotes que o permitido 4,6 MW médio (8,8%). Outro fato interessante observado é o CEC dos empreendimentos (Média de 14,3 R$/MWh), os maiores dentre os projetos vencedores. Este parâmetro se refere à complementaridade da fonte ao sistema e torna-se um importante beneficio econômico no momento de venda de energia no leilão.

O ePowerBay acompanha os processos referentes aos leilões bem como os processos de construção e dados operacionais. Desta forma, busca fornecer aos agentes as informações necessárias em cada fase, para que a tomada de decisão do empreendedor tenha seus riscos mitigados.

Saiba mais sobre nossos trabalhos e como podemos auxiliá-lo em cada etapa.

www.epowerbay.com | contato@epowerbay.com


431 visualizações