• Afonso Lugo, André Felber, Fernando Witzel

ANÁLISE PÓS-LEILÃO DE ENERGIA A-6 2017


No dia 20 de dezembro aconteceu o Leilão de Energia Nova A-6, no qual foram contratadas energias provenientes das fontes hídrica, térmica a biomassa, e térmica a gás natural, com previsão de entrega de energia para janeiro de 2023. Neste leilão, diferentemente do A-4, os projetos não possuem conexão garantida, o que eleva o risco de entrega de energia na data do contrato para o empreendedor.

O leilão foi marcado por uma estratégia bastante agressiva por parte dos desenvolvedores, onde logo na primeira rodada o preço para a fonte eólica que começou com R$ 276,00/MWh foi para R$ 155,00/MWh, encerrando o certame com preço de R$ 100,02/MWh.. Depois de 02 horas e 15 minutos de disputa o leilão foi encerrado com deságio médio de 38,7%. Confira os vencedores do leilão na imagem abaixo.

O destaque no leilão foi a Enel Green Power (EGP) que arrematou 36% dos lotes comercializados (excluindo as térmicas a gás natural), totalizando 618 MW de potência, conseguindo abaixar o preço a R$ 97,00 para o empreendimento ZEUS II em consórcio com a desenvolvedora de projetos eólicos Sowitec. Este projeto vai utilizar a infraestrutura de linha de transmissão do conjunto Delfina da própria EGP para se conectar em Juazeiro da Bahia II em 230 kV.

A Força Eólica comercializou 281,4 MW na Paraíba, a EDP Renováveis 218,9 MW no Rio Grande do Norte, a Omega 95 MW no Maranhão, a Voltália que havia vendido 60 MW no A-4 dois dias antes, completou o seu complexo vendendo 91,3 MW de potência no Rio Grande do Norte. Considerando taxa de câmbio do dia 20/12/2017 (3.28), estes empreendimentos negociaram energia a 30,05 U$/MWh.

Os empreendimentos vencedores do leilão estão cadastrados na base de dados do ePowerBay e estão localizados geograficamente de acordo com a imagem.

A energia foi comprada por 25 distribuidoras que declararam necessidade. As 4 que mais compraram foram CEMIG D, COELBA, COPEL D e ELEKTRO acima de 200 MWm. Dentre as 4 somente a CEMIG não declarou necessidades para o A-4 2017. No geral as Distribuidoras do Sudestes foram as que mais compraram, seguindo pelas do Nordestes e Sul.

No gráfico a seguir estão apresentados o preço inicial e preço de venda da energia juntamente com o deságio médio registrado por fonte. A potência comercializada por quantidade, de fonte hídrica, tem contratos de 30 anos, já a potência comercializada por disponibilidade, para as fontes térmica biomassa e Gás Natural, 25 anos e eólica, 20 anos.

A seguir estão apresentadas as características técnicas e o valor de ICB dos projetos eólicos organizados por clusters.

ANÁLISE DETALHADA DOS PROJETOS

Aventura II, III, IV e V - 97 MW (EDP R)

Santa Rosa e Mundo Novo I, II, III, IV e V - 122 MW (EDP R)

Santa Angela - 510 MW (EGP)

Zeus II - 30 MW (EGP)

Santa Esperança 13, 15 e 17 - 78 MW (EGP)

Canoas 2 e 4, Chafariz 1, 2, 3, 6 e 7, Lagoa 3 e 4 - 281 MW (Força Eólica - Neoenergia)

Delta 5 I, IV, V e X - 95 MW (OMEGA)

Vila Acre II, Vila Paraíba I e IV - 91 MW (Voltália)

Ouro Branco I e II, Quatro Ventos - 82 MW (Consórcio Ouro Branc) - MCSD descontratados

Analise dos Possíveis Fabricantes


926 visualizações