• ePowerbay

[A-4 e A-6 2017] Fabricantes e Projetos Cadastrados no LEN 2017


Os recentes direcionamentos indicados pelo Ministério de Minas e Energia tem gerado boas expectativas no setor elétrico, principalmente no que diz respeito a contratação projetos de energia. Foram anunciados para o final do ano, dois Leilões de Energia Nova (A-4 e A-6) e um leilão de transmissão que será de extrema importância para solucionar alguns gargalos de escoamento.

O ePowerBay tem acompanhado estas movimentações e produzido alguns resumos referentes aos projetos que foram cadastrados e estão sob analise da EPE.

Nesta publicação iremos abordar os projetos eólicos que participarão dos dois Leilões de Energia Nova e apresentaram a maior quantidade de projetos cadastrados.

Figura 1. Projetos cadastrado para os Leilões A-4 e A-6 2017. Fonte EPE, elaboração ePowerBay.

A capacidade instalada de projetos eólicos hoje no Brasil já ultrapassa 11 GW e tomando como base os cadastramentos, existem pelo menos 26 GW prontos para serem agregados a matriz elétrica brasileira.

O ePowerBay mapeou quais são os projetos eólicos, quais estados possuem mais projetos e quais são os fabricantes considerados pelos desenvolvedores para o cadastramento destes projetos.

Figura 2. Distribuição dos projetos por Estados. Fonte EPE Cadastramento A-4. Elaboração ePowerBay

Observando o cadastramento para o A-4, em que os empreendimentos só poderão disputar o leilão se houver disponibilidade de conexão, verifica-se que 68% dos projetos estão nos estados da Bahia, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul, que de acordo com a última nota técnica relacionada à margem de escoamento, publicada para o 2º LER 2016 (Nota Técnica EPE-ONS-Aneel) apresentavam margem zero de escoamento.

Figura 3. Distribuição dos projetos por Estados. Fonte EPE Cadastramento A-4. Elaboração ePowerBay

A conexão ainda é um problema que necessita ser resolvido para viabilizar a grande maioria dos projetos desenvolvidos. Observa-se também que para o horizonte de contratação A-6, não haverá um estudo de margem de escoamento e, portanto, os projetos não serão desabilitados em função da conexão, sendo risco do empreendedor qualquer atrasos e problemas na conexão. Neste ponto, o leilão de transmissão que ocorrerá também no final do ano, trará uma segurança maior na tomada de decisão. Como a maioria dos lotes tem prazo de 60 meses, só irão ser uteis para os projetos que irão para o A-6, com entrega de energia para 1º janeiro de 2023.

Buscando entender melhor os projetos e a cadeia produtiva, verificamos na base de dados da ANEEL (SIGEL) como foram cadastrados estes projetos e como estavam distribuídos em relação aos principais fabricantes de aerogeradores.

Figura 4. Distribuição dos projetos por Fabricante. Fonte ANEEL/SIGEL Cadastramento A-4. Elaboração ePowerBay.

Verificou-se que a maioria dos projetos foram cadastrados com turbinas Siemens/Gamesa, seguido por GE/ALSTOM e ACCIONA. Sabe-se que após o leilão podem ser efetuadas mudanças nos projetos, levando sempre em consideração a Garantia Física que será informada pela EPE no momento da habilitação técnica. Verifica-se que esta é uma prática comum adotada no mercado, principalmente por dois fatores:

  1. Os projetos podem ter sido desenvolvidos por terceiros e com as características técnicas diferentes das buscadas pelos compradores;

  2. Existe um processo de negociação com os fabricantes, que na grande maioria dos casos acaba sendo o decisivo, em função da representatividade de seu custo no CAPEX;

Para alteração do projeto após o Leilão, deverá ser realizado o processo de alteração de característica técnica, que será avaliado pela EPE e pela ANEEL, que verificarão se este novo projeto atende a Garantia Física e a quantidade de lotes vendidos. Outros ponto sensíveis quando se opta pela alteração no projeto, diz respeito à conexão e ao licenciamento ambiental que devem ser bem avaliados.

Quando se comparam os projetos em operação no Brasil, verifica-se que existe uma inversão de posições entre SIEMENS/GAMESA e GE/ALSTOM.

Figura 5. Distribuição dos projetos por Fabricante em operação. Fonte ANEEL/SIGEL e ABEEolica. Elaboração ePowerBay.

Observa-se um processo de consolidação dos Fabricantes no Brasil, além das Fusões GE/ALSTOM e SIMENS/GAMESA, a ACCIONA também passou por este processo, com a NORDEX, outros dois fabricantes deixaram o mercado, Suzlon e Impsa.

Espera-se que com os novos leilões o mercado possa recuperar o fôlego, reaquecendo a indústria, com a contratação de mais funcionários e continuando o desenvolvimento da fonte que tanto tem ajudado a economia do país.